janeiro 24, 2021Relatos de Uma Blogueira

O que 2020 me deu?

0 Comentários

Ano novo, com a sensação de que tudo continua com o mesmo sabor e sentimentos ruins do que acabou de passar. Virar o dia 31 de dezembro para 1º de janeiro, de fato, faz alguma diferença?

Lembro que na virada do ano de 2019/2020, à beira da praia em Floripa, tive uma crise de choro enorme – e falei sobre isso neste post -, pois tinha sido um ano muito desafiador e sufocante pra mim. Quem diria que 2020 chegaria arrombando a porra da porta e nos colocando em um patamar de vivências nunca antes experimentado? Particularmente, foi um ano bosta para todo mundo. Não consigo imaginar uma pessoa sequer que não foi afetado, em níveis diferentes, pelo que a pandemia nos trouxe: perdas, choro, fome, crises emocionais, preocupações.

O primeiro baque foi a perda da mãe de uma amiga. Depois, meu pai teve covid em um lugar onde sequer tem um atendimento confiável, mesmo dentro do âmbito público. Em diversos momentos fiquei com medo de perder meu emprego, de ter que voltar pra Brasília não por escolha própria, mas por necessidade. De perder alguém que amo, de não conseguir ser mais, fazer mais. Fui frustrada pelas decisões alheias que não respeitaram as minhas decisões e ainda assim, tentei viver minimamente possível – fiz rapel, tirei fotos em campos de girassóis e algodão, fui para cachoeiras e à praia…

Acredito que várias pessoas tenham essa sensação de estagnação, sinto como se minha vida estivesse sendo um 2019.2 (2020) e que está seguindo para ser um 2019.3 agora em 2021. O que estou fazendo é me esforçando o máximo para que não sejam apenas mais dias da minha vida que estão passando sem espaço para crescimento.

Desde o meu intercâmbio que tenho perdendo a minha força na internet: meu trabalho com o blog, canal e redes sociais falando sobre livros acabou se tornando uma espécie de peso na qual não estava mais tão disposta a carregar. Minha mudança para São Paulo em 2019 afetou diretamente tudo nesse aspecto, pois não queria compartilhar com ninguém as minhas tristezas e choros pelos andamentos da minha vida e também pelo aspecto de adaptação em uma cidade nova, onde me sentia constantemente sozinha. Com isso, me vi afastando de tudo e de todos, abandonando uma parte de mim que não fazia mais sentido para quem estava me tornando e, principalmente, aquele conteúdo que criava antes não representava mais quem eu era e sou, meus próprios conflitos sendo refletidos em minhas ações que não estavam sendo realizadas. Em 2020, esses sentimentos continuaram, se tornando ainda maiores diante de todo o caos mundial que estamos vivendo. Pensando agora, talvez fosse o momento perfeito para um retorno meu, onde teria tempo e dedicação para reformular meu posicionamento na internet, porém, não era o momento, pois ele não aconteceu.

E cá estou. Meus questionamentos continuam me rodeando como uma áurea que faz parte de mim e, confesso, é exaustivo muitas vezes. Quanto mais voz você se dá na internet, mais tem a capacidade de influenciar pessoas e isso me apavora de montão. Mas, apenas pessoas que se posicionam realmente tem a possibilidade de alcance maior. Minhas próprias questões me limitam a esse ponto e, mais uma vez, estou exausta mentalmente de ser uma pessoa que decidiu lutar por causas sociais, pois a parcela que é contra está fortemente envolvida em te fazer desistir. Ler é um privilégio, ter acesso a informação me torna ainda mais super incrível. Entender o que posso fazer com esses dois pontos me faz querer desistir tudo, pois não é só de meses e boas notícias que vivemos. O que me frustra e mexe com todo o meu ser é que as notícias ruins estão destoando de forma alarmante de uma ficção e a realidade está dura e pesada de ser absorvida sozinha.

Para 2021, então, desejo pequenos acertos para mim mesma:

💉 Que possamos ter uma vacina acessível para todas as pessoas, lidando com a questão de prioridade e tudo mais, mas que a porra da agulha seja espetada no braço de todo mundo, pois ninguém aguenta mais viver essa distopia.

♀️ Que eu consiga me entender melhor como ser humano, como mulher, sobre o legado que quero deixar para mim mesma e comece a lidar e tratar desses assuntos com mais afinco.

🌎 Continuar fazendo terapia para não surtar com esse mundo louco que estamos vivendo e com os meus próprios conflitos, que às vezes tem sentido, mas que muitas vezes não tem.

❤️ Encontrar um espaço de carinho e amor dentro de São Paulo. Sinto como se meu sonho e tudo que planejei para quando me mudasse para cá está estacionado dentro da minha mente e coração e as coisas ainda não começaram a acontecer.

novembro 07, 2020Viagem

Os lugares por onde viajei

Explico um pouco aqui como fiz para realizar as minhas viagens. É uma prioridade na minha vida....

Continue lendo

julho 30, 2020Foto, Fotografia

Visitando e tirando fotos em uma plantação de algodão

Como chegar nas plantações de algodão em Brasília para tirar fotos....

Continue lendo

julho 23, 2020Intercâmbio, Malta

Intercâmbio em Malta: quanto custa um intercâmbio na ilha?

Oi, gente! Voltei de novo e agora com um post pra falar, efetivamente, sobre os valores de quanto custou meu intercâmbio no final....

Continue lendo

julho 06, 2020Intercâmbio, Malta

Intercâmbio em Malta: por que escolhi esse país?

Conto como foi a experiência de procurar um país para o meu primeiro intercâmbio um pouco da minha experiência com agências de intercâmbio,...

Continue lendo

1 2 3 216

Vídeos no canal

@araphadoequalize
© 2021 A Rapha do Equalize • araphadoequalize.com.brDesenvolvido com por